Existe alguma razão técnica para o padrão Observer ou assemelhandos não ser usado de forma independente ao objeto observado? – design-pattern engenharia-de-software observer-pattern

Pergunta:


Muitas vezes usamos coisas que nem pensamos bem porque é assim.

Eu não gosto de colocar penduricalhos de mecanismo em objeto que é de domínio específico.

Se eu tenho um controle de tela ou um cliente que tem alguma ação que dispara um evento o meu normal é usar alguma forma de evento onde o objeto tem uma lista de assinantes que obviamente vai crescendo conforme vai tendo objetos interessados (observadores) em alguma mudança de estado ou comportamento que esse objeto observado se dispõe avisar que ocorreu, está ocorrendo ou irá ocorrer. O mecanismo de controle fica nesse objeto e tem o custo nele.

Fiquei pensando se não é mais interessante ter um objeto de observação separado, aí esse objeto que era observado informa ao objeto de observação que ele tem eventos disponíveis e os objetos observadores assinam esses eventos desejados. Todo esse objeto é responsável pelo mecanismo de observação e os objetos que se comunicam não possuem mecanismos próprios reduzindo sua responsabilidade, aparentemente melhorando a coesão e acoplamento.

Me preocupo principalmente com o o objeto carregar estado que não faz parte do domínio dele. Sei que é preciosismo em muitos casos e não devo me preocupar demais com isso. Mas ainda fica a dúvida se do ponto de vista estrito da engenharia faz sentido fazer algo assim.

Não quero saber qual é o melhor, mas se eu estou vendo o quadro geral de forma adequada ou perdi alguma coisa importante.

Exemplo apenas ilustrativo bem simplificado e ingenuamente em pseudocódigo:

class Score
    value = 0
    Increase() {
        value++
        Changed(this)
    }
    Score() {
        RegisterEvent(this, Increase)
    }
    ~Score() {
        UnregisterEvent(this, Increase)
    }

class Observation {
    observables[] = new[]
    RegisterEvent(obj, method) {
        observables[obj << ptrLength + method] = new[]
    }
    UnregisterEvent(obj, method) {
        observables[obj << ptrLength + method] = null
    }
    SubscribeEvent(obj, method, action) {
        observables[obj << ptrLength + method] += action
    UnsubscribeEvent(obj, method, action) {
        observables[obj << ptrLength + method] -= action
    }
}
class App {
    static player1 = new Score()
    static player2 = new Score()
}
class Screen {
    Screen() {
        SubscribeEvent(player1, Score.Increase, PaintScore1) {
        SubscribeEvent(player2, Score.Increase, PaintScore2) {
    }
    ~Screen() {
        UnsubscribeEvent(player1, Score.Increase, PaintScore1) {
        UnsubscribeEvent(player2, Score.Increase, PaintScore2) {
    }
    PaintScore1(obj) { ... }
    PaintScore2(obj) { ... }
}
class Fire {
    ...
    Reached(player) {
        (player == 1 ? player1 : player2).Increase()
    }
}

Isto seria a mesma coisa que o padrão Mediator? Se for, o Mediator seria um substituto para o Observer? Ou eles servem para propósitos diferentes. Com advento do Mediator o Observer seria obsoleto? Ou eles se complementam? Ou seria errado eles se complementarem?

Isto seria o Event Aggregator? E esta só uma is uma da inúmeras coisas que eu achei que inventei? Dammit Fowler! 😛

Autor da pergunta Maniero

Dherik

Existe alguma razão técnica para o padrão Observer ou assemelhandos não ser usado de forma independente ao objeto observado?

Do ponto de vista de coesão e acoplamento, tanto o Subject (Observado) quanto os Observers (Observadores) são independentes, ou seja, o funcionamento e a responsabilidade de um “subject” não depende de observers e, não importa qual o tipo e especialização dos objetos envolvidos, todos só precisam respeitar um “contrato”(interface) por exemplo.

Exemplo ilustrativo:

Interface Observer

public interface Observer {

    void onStateChanged(String attribute, Object oldValue, Object newValue);    
}

Interface Subject

public interface Subject {

    void addObserver(Observer observer);

    void removeObserver(Observer observer); 
}

Uma classe “Observable”

public class Bird implements Subject {

    private List<Observer> observers = new ArrayList<>();
    private boolean flying;

    public boolean isFlying() {
        return flying;
    }

    public void setFlying(boolean flying) {
        boolean oldValue = this.flying;
        this.flying = flying;
        notifyObservers("flying", oldValue, this.flying);
    }

    @Override
    public void addObserver(Observer observer) {
        observers.add(observer);
    }

    @Override
    public void removeObserver(Observer observer) {
        observers.remove(observer);     
    }

    private void notifyObservers(String attribute, Object oldValue, Object newValue) {
        observers.forEach(o -> o.onStateChanged(attribute, oldValue, newValue));
    }       
}

Uma classe “Observer”

public class BirdObserver implements Observer {

    @Override
    public void onStateChanged(String attribute, Object oldValue, Object newValue) {
        System.out.println(String.format("%s %s %s", attribute, oldValue, newValue));       
    }
}

Note que, mesmo com uma relação 1xN, o custo (Pub/Sub) é bem baixo, não vejo o mecanismo de pub/sub fora do escopo de um objeto “Observable”.

Portanto, não acredito que exista uma razão técnica para isso não acontecer de forma separada no Observer Pattern.

Agora, a sua proposta tem uma certa semelhança com outros dois patterns:

Então, por que não aplica-los em todos os casos onde é necessário um mecanismo de pub/sub?

Como eu disse anteriormente, o custo do Observer não tem impacto significativo na coesão e acoplamento, se você tem uma aplicação simples que precisa de pub/sub, esse pattern resolve sem problemas.

Agora, imagine uma aplicação que possua mais de 100 Observables(com múltiplos tipos de eventos) e mais de 100 Observers. Pra deixar um pouco mais complexo imagine que alguns desses objetos necessitem de uma noção de estados com relação NxN. Seria um pouco complexo gerenciar isso apenas com o Observer. Nesse caso poderia entrar o papel de um “centralizador” pra gerenciar a troca de mensagens entre todos, e é aí que entra o Mediator ou Event Aggregator.

Portanto,

Isto seria a mesma coisa que o padrão Mediator?

Proposta bem parecida.

Se for, o Mediator seria um substituto para o Observer? Ou eles servem para propósitos diferentes.

Não, um não substitui o outro. Eles possuem semelhanças em facilitar a comunicação entre objetos.

Com advento do Mediator o Observer seria obsoleto? Ou eles se complementam? Ou seria errado eles se complementarem?

Também não, o mediator não torna o observer obsoleto. Podem ser usados de forma independente ou podem se complementar, depende do cenário aplicado.

Isto seria o Event Aggregator?

É um pouco parecido também.

E esta só mais uma das inúmeras coisas que eu achei que inventei?

Aparentemente sim, sorry. =P

Fonte

Related Posts:

Qual a diferença entre AppCompatActivity e Activity? – android android-activity
Pergunta: Qual a diferença da AppCompatActivity para Activity ? A partir de qual versão a AppCompatActivity foi adicionada ao Android? Autor da pergunta Luhhh A diferença reside ...
Como abreviar palavras em PHP? – php string
Pergunta: Possuo informações comuns como nome de pessoas e endereços, e preciso que elas contenham no máximo 30 caracteres sem cortar palavras. Exemplo: 'Avenida Natalino João Brescansin' ...
Qual é a finalidade de um parêntese vazio numa declaração Lambda? – c# expressões-lambda característica-linguagem
Pergunta: Criei um exemplo de uma declaração Lambda sem argumentos, entretanto, estou com duvidas referente a omissão do parêntese vazio () na declaração. Veja o exemplo: class ...
Boas práticas para URI em API RESTful – api rest restful
Pergunta: Estou com dúvida em relação às URIs de alguns recursos da api que estou desenvolvendo. Tenho os recursos projetos e atividades com relação 1-N, ...
Dúvidas sobre a integração do MySQL com Java – java mysql netbeans
Pergunta: Estou criando um sistema no NetBeans, utilizando a linguagem Java e o banco de dados MySQL. Escrevi o seguinte código para realizar a conexão ...
Qual é a finalidade da pasta Model do framework Inphinit? – php inphinit
Pergunta: No Inphinit micro-framework existe a pasta Model que fica dentro da pasta application, e nela é onde ficam as classes, mas eu estou muito ...
Uso do ‘@’ em variáveis – javascript typescript coffeescript
Pergunta: Vejo em algumas linguagens que compilam para javascript, como TypeScript e CoffeeScript, o uso do @ em variáveis, como também, casos em que o ...
Qual tamanho máximo um arquivo JSON pode ter? – json arquivo
Pergunta: Vou dar um exemplo para conseguir explicar minha duvida: Preciso recuperar informação de imagens vindas de uma API, esse banco de imagens me retorna JSON's ...
O que é Teste de Regressão? – terminologia engenharia-de-software testes
Pergunta: Na matéria de Teste de Software o professor abordou um termo chamado Teste de Regressão, isto dentro da disciplina de teste de software. Sendo ...
O que é um construtor da linguagem? – php característica-linguagem
Pergunta: Em PHP, já li e ouvi várias vezes a respeito dos Construtores da Linguagem. Os casos que sempre ouvi falar deles foi em casos ...
Função intrínseca para converter numérico para string – cobol
Pergunta: Estou a tentar saber se existe alguma função intrínseca do COBOL para converter um data numérico para string sem precisar usar a cláusula REDEFINES: ( ...
Porque usar implements? – java android
Pergunta: Qual a diferença entre usar btn.setOnClickListener(new OnClickListener() { e public class MainActivity extends Activity implements OnClickListener{ Estive fazendo um curso de Android e meu professor falou que ...
O que é XHTML e quando deve ser usado? – html xml xhtml
Pergunta: O que eu sei é que o XHTML precisa ser XML válido. Isso implica, por exemplo, que todas as tags precisam ser fechadas. Por ...
Uma placa aceleradora de vídeo pode melhorar o desempenho não-gráfico? [fechada] – desempenho
Pergunta: Para desenvolver em Ruby on Rails, eu utilizo aqui uma máquina virtual do VirtualBox com Ubuntu Server 14.04 sem interface gráfica instalada. Recentemente descobri uma ...
Concat() VS Union() – c# .net
Pergunta: Qual a diferença entre Concat() e Union() ? Quando usar Concat() e quando usar Union() ? Somente pode ser usado em list ? ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *