O que é Kotlin? – característica-linguagem kotlin

Pergunta:


Tenho ouvido falar muito de Kotlin.

O que é isso? É uma linguagem de programação? Se sim: Quais as principais características? Posso programar em qualquer sistema operacional? E executar? Como funcionam os tipos nela?

Não quero saber tudo, mas uma informação básica sobre o que é isso.

Autor da pergunta LINQ

Resposta Maniero:

Uma linguagem maravilhosa, é só isso que eu tenho pra dizer 😛

Ok, deixando a brincadeira de lado, é uma linguagem criada pela JetBrains, dona de um IDE que muitos consideram o que tem de melhor no mercado, como o IntelliJ, e o do Resharper, que muitos consideram um plugin indispensável para o Visual Studio, entre outros bons produtos.

Ao que tudo indica eles a criaram para ter uma ferramenta melhor para desenvolver seus próprios produtos. Mais ainda, a ideia original era ter uma linguagem que gera bytecodes para a JVM e para o CLR, assim muito do código usado em produto poderia ser reaproveitado em outro. Hoje eles desenvolvem basicamente em Java, e replicam muito código em C# para o Resharper (agora tem o Rider que é um IDE para .NET inteiro deles, mas roda com JVM).

Também usam como alvo o JavaScript, talvez para ter IDE web em breve. Talvez foquem em WebAssembly no futuro.

Com o tempo desistiram da ideia de gerar código para o CIL. Sei lá se retomarão. Perceberam que era complicado conciliar uma boa linguagem com estes dois alvos, não só pelo runtime, mas por toda biblioteca de cada plataforma. E provavelmente teria poucos benefícios. Não sei se não estão criando ou até já usando experimentalmente algum conversor de Kotlin para C# ou até de Java para C# para facilitar o desenvolvimento.

Mas ainda era útil ter uma linguagem melhor que Java. Muitas pessoas criticam a linguagem da Oracle. Eles queriam um feel mais próximo do C#, e quem sabe alguma coisa até melhor, e Kotlin servia bem a isso. Queriam algo que rodasse na JVM, usasse toda JEE e se comunicasse com todo código que eles já possuíam em Java, mas que fosse mais agradável de desenvolver, que desse mais produtividade e robustez. Quem vislumbraram tr mais um produto na sua linha também.

Eles partiram do Java, mas muito da linguagem fora inspirada no C# e Scala, dando um tom mais funcional, mas ainda com força no imperativo que é algo que a maioria dos programadores estão acostumados. Se inspiraram também em outras linguagens, tentaram deixar o código mais limpo, como Python faz.

Recentemente a Google oficializou a linguagem para uso no Android, e há muita empolgação no seu uso. Com isso muita gente acha que será mais palatável programar em cima de uma JVM.

Posso programar em qualquer sistema operacional? E executar?

Pode programar onde tiver uma infraestrutura da JVM, melhor ainda se tiver um IDE para Kotlin, o que é mais ou menos onde tem uma JVM. Claro que você não vai rodar um IDE no Android.

Em tese roda em qualquer lugar onde tenha uma JVM. Essas coisas nunca são 100% garantidas, mas basicamente é isso, salvo as incompatibilidades específicas, JVM é que determina onde pode rodar. Também pode rodar onde tenha JavaScript implementado, desde que gere código para isto. Não sei se esta plataforma está bem suportada.

Quais as principais características?

  • Ela interopera muito bem com Java. Também é bem compatível com quase tudo existente.
  • Adota muito da programação funcional mas ainda em estilo imperativo e mantendo a força da orientação a objeto.
  • Possui pattern matching.
  • Facilidades para fazer algo semelhante ao LINQ e não é só métodos de extensão. Também possui implementação padrão em interfaces, como o Java 8, que o C# só terá na versão 8.
  • Sintaxe simplificada e intuitiva, evita o uso do ; por exemplo, nada de verborragia.
  • Permite propriedades delegadas que é melhor que eventos e gambiarras para fazer a propriedade ser observável.
  • Declara o tipo da variável opcionalmente no lugar certo, não copiaram C 😛
  • Possui blocos atômicos para transações em memória que precisam ocorrer tudo ou nada sem intervenção externa.
  • Ela incentiva o uso de DSLs. Fazer algo nela mesma se parecendo com XAML ou algo assim é relativamente simples.
  • Trabalha nativamente com objetos singleton.
  • Permite delegação de classe.
  • Melhor sistema de anotação.
  • Alias de tipo, como C# faz com using.
  • Algumas coisas que tem no Java é melhor implementado em Kotlin.
  • Usa interpolação de string.
  • Em geral as construções da linguagem funcionam como expressões.
  • Não tem exceções checadas. TYG.
  • Usa co-rotinas (mais ou menos, não é oficial ainda).
  • E muito mais, claro.

Veja mais em outra pergunta sobre ela.

Como funcionam os tipos nela?

Muito parecido com Java, mas tem algumas coisas mais específicas. tenta puxar um pouco para o C# e adota algumas coisas de Scala e outras linguagens funcionais.

  • Tudo deriva de Any, como ocorre em C#, ao contrário do Java que vende a ideia que tudo é objeto e não é. Na verdade C# tem tipos que não derivam de object, mas funciona a parte.
  • Os tipos não são nulos a não ser que mande ser, e isto por si só já vale a linguagem. C# 8 deverá ter isso também onde falta. Existem mecanismos pra lidar melhor quando quer um tipo anulável.
  • Privilegia objetos imutáveis por padrão, deixando o programador escolher que seja mutável.
  • Tem facilidades como sobrecarga de operadores, propriedades, indexadores, coerções, etc. igual ao C#
  • Os genéricos são de verdade, mesmo a JVM não ajudando, é parecido com C#, mas também tem algumas coisas do Java.
  • Possui tipos de dados algébricos (ADTs) que eu adoraria que C# tivesse. Isso veio de Scala.
  • Existem as classes de dados, semelhante aos registros que terão no C#.
  • As lambdas são tipadas diretamente na linguagem, diferente de C# que ainda parece meio gambiarra usando tipos de apoio até na sintaxe.
  • Tem função inline que é uma otimização entre a função normal e a lambda.
  • Ainda que não totalmente ligado à tipagem, ela não privilegia exceções, usa um Maybe por exemplo.
  • Apesar de se basear no JEE, possui muitos tipos melhores que substituem o que se usa em Java. Ainda é possível usar os tipos do Java para compatibilidade. Não é o ideal, mas é que tem pra hoje.
  • É possível criar um tipo dinâmico, como em C# (mas é limitado ao alvo JS).
  • Tem Unit que é melhor que void, e tem Nothing que é melhor que null, e não é só o nome não, a semântica é mais adequada.
  • Tem ranges.
  • Evita boxing sem necessidade.
  • Falta structs, mas quem sabe venha junto com Java 10.

Conclusão

Os desenvolvedores de Kotlin são muito bons. Não são um Anders Hejlsberg, mas não são aloprados, voluntariosos fazendo maluquices sem sentido, não é uma linguagem que mostrará problemas aos montes com tempo.

Eu ainda prefiro C# entre as linguagens existentes, mas se eu tiver que trabalhar com JVM, Kotlin seria minha escolha.

Fonte

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *